top of page
  • sindufla

Dataprev criou App de prova de vida para aposentados e pensionistas. Veja como fazer

Prova de vida Os aposentados e pensionistas que não comparecem às agências bancárias ou utilizarem o App para fazer a prova de vida terão seus benefícios bloqueados pelo INSS. O aplicativo vai facilitar o procedimento também para os segurados que não podem ir aos bancos em que recebem o benefício para apresentar um documento de identificação com foto. Os beneficiários que não podiam ir até as agências bancárias por doença ou dificuldade de locomoção, antes podiam fazer a comprovação de vida por meio de um procurador cadastrado no INSS, agora podem usar o celular. Aqueles que moram no exterior, também devem fazer anualmente a prova de vida.

Como utilizar o aplicativo criado pela Dataprev e Serpro Para utilizar a ferramenta, o segurado deverá baixar e instalar o aplicativo no celular (Android ou IPhone). O sistema usa biometria facial dos beneficiários que possuem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou Título de Eleitor registrado nas bases de dados do Denatran e Tribunal Superior Eleitoral.



Como funciona a vida digital? Os dados dos beneficiários com CNH e Título de Eleitor são armazenados pelo Serpro que, junto com a Dataprev, fazem um cruzamento de dados para atestar a ‘vida digital’ do cidadão. De acordo com a Dataprev, o sistema sua tecnologia de ponta desenvolvida no Brasil pelas empresas públicas para facilitar a vida dos brasileiros e otimizar o uso dos recursos públicos. A prova de vida on-line foi disponibilizada em agosto de 2020, mas na primeira fase apenas cerca de 500 mil usuários tiveram acesso. Atualmente, o serviço já está disponível para cerca de 5,5 milhões de pessoas e em expansão para alcançar a todos os segurados que possuam ou Título de Eleitor com dados biométricos ou Carteira de Habilitação.

É seguro porque é público Caso o governo federal prossiga com seus planos de privatização do Serpro e da Dataprev, a Prova de Vida digital também será feita pelas empresas compradoras. Especialistas temem que os dados como a imagem ou as informações sobre a vida laboral dos aposentados e pensionistas fiquem na mão de terceiros, colocando em risco a privacidade dos dados e o respeito à Lei Geral de Proteção de Dados. FONTE: REDAÇÃO CUT 

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page